O projeto eSocial é uma ação conjunta dos seguintes órgãos e entidades do governo federal: Caixa Econômica Federal, Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, Ministério da Previdência – MPS, Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, Secretaria da Receita Federal do Brasil – RFB. O Ministério do Planejamento também participa do projeto, promovendo assessoria aos demais entes na equalização dos diversos interesses de cada órgão e gerenciando a condução do projeto, através de sua Oficina de Projetos. Isso significa que a implantação do Esocial tende a substituir as outras formas de envio de informações para o governo como RAIS, DIRF, CAGED GFIP etc. Do ponto de vista operacional é um projeto que promove um grande ganho aos profissionais de RH/DP, pois centraliza estas atividades de fechamento, em um único processo mensal – e com retorno quase imediato da análise das informações.

A jornada de Implantação

Há uma longa jornada a ser percorrida em direção à implantação do Esocial em sua empresa, Você está preparado? Veja um resumo das atividades que devem ser realizadas para uma implantação bem sucedida do Esocial. E se você precisar de ajuda, conte com a gente. Deixamos, abaixo, três dicas que com certeza irão ajudá-lo a se programar para o eSocial:

1 – Fique de olho no prazo…

O cronograma que fixa as datas de obrigatoriedade para utilização do sistema foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) em 25 de junho de 2015, por meio da Resolução nr. 1, de 24 de junho de 2015, do Comitê Diretivo do eSocial. Assinada pelos secretários-executivos da Fazenda, Tarcísio de Godoy; da Previdência Social, Marcelo Siqueira; do Trabalho e Emprego, Francisco José Ibiapina; e da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, José Constantino Júnior, a normativa fixa prazo diferente para a obrigatoriedade de prestar informações relativas ao ambiente de trabalho. Neste caso, as empresas serão obrigadas somente a partir da competência Janeiro de 2017 a utilizar o eSocial para transmitir informações sobre monitoramento da saúde do trabalhador e condições do ambiente de trabalho, bem como comunicação de acidentes de trabalho. A resolução estabelece ainda que a partir da competência Janeiro de 2017 os demais empregadores – inclusive microempresas e empresas de pequeno porte, como o empreendedor individual com empregado, o pequeno produtor rural, o contribuinte individual equiparado à empresa e o segurado especial que possua trabalhadores que lhes prestem serviços – deverão enviar as informações sobre os seus empregados por meio do novo sistema. Já os eventos relativos ao ambiente de trabalho devem ser enviados pelos demais empregadores, utilizando o eSocial a partir da competência Julho de 2017.

2 – Treine seus colaboradores…

É de vital importância que os responsáveis pela geração envio e controle dos arquivos do eSocial estejam atualizados com as regras, conheçam bem todas as informações contidas nos arquivos e entendam como o processo de validação funciona, pois este novo ambiente é muito mais dinâmico que os atuais (sefip, dirf, rais, caged etc) e operacionalmente muito diferente.

marca Esocial3 – Verifique tudo…

Certifique-se que seu sistema de folha de contempla todas as informações necessárias e também se já possui as rotinas para gerar os arquivos, e também a rotina de mensageria, O prazo já está chegando e a implantação desta rotina não é algo que se faça em uma hora para outra. E, agora que as obrigações anuais já foram entregues, é uma boa hora para encarar este novo desafio. Enfatizando o que já dissemos, se você precisar de ajuda, conte com a gente.
Quer melhorar sua gestão do negócio? Entre em contato conosco, pelo formulário abaixo. Daremos retorno o mais breve possível!

Fale conosco e conte sobre seu interesse ou necessidade

Todos campos precisam ser preenchidos

Compartilhe este artigo

Compartilhe com seus amigos!